Confiança Empresarial sobe 2,7 pontos em abril e atinge maior nível desde novembro, diz FGV

02/05/2022 | Valor Econômico

A alta do indicador foi determinado por uma melhora tanto das avaliações sobre a situação atual dos negócios quanto das expectativas em relação aos meses seguintes

O Índice de Confiança Empresarial (ICE), do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre), subiu 2,7 pontos em abril, para 94,5 pontos, maior nível desde novembro do ano passado.

Na métrica de médias móveis trimestrais, o indicador subiu 1,0 ponto no mês, interrompendo a sequência de seis quedas consecutivas.

“Com a segunda alta seguida, o ICE reverte a tendência de queda observada entre setembro de 2021 e fevereiro de 2022 e recupera 30% dos 11,2 pontos perdidos no período. Assim como no mês anterior, o Setor de Serviços exerceu a maior contribuição para a alta, com destaque para os Prestados às Famílias, um sinal de normalização da economia num contexto pós-pandemia. O outro destaque no mês é a confiança industrial, que subiu 2,4 pontos após oito quedas seguidas. Além da redução de incerteza com a percepção de controle sobre a pandemia, o índice está sendo impulsionado neste início de segundo trimestre por medidas de estímulo como redução de IPI, liberação de recursos do FGTS e antecipação do 13º de aposentados e pensionistas”, avalia Aloisio Campelo Jr., superintendente de Estatísticas do FGV Ibre, em comentário no relatório.

A alta da confiança empresarial foi determinada por uma melhora tanto das avaliações sobre a situação atual quanto das expectativas em relação aos meses seguintes.

O Índice de Situação Atual Empresarial (ISA-E) subiu 3,6 pontos, para 95,7 pontos, maior nível desde dezembro de 2021 (95,8 pontos). O Índice de Expectativas (IE-E) subiu 2,0 pontos, para 94,4 pontos. Esta é a primeira vez desde dezembro de 2021 que o ISA-E supera o IE-E.

O Índice de Confiança Empresarial (ICE) consolida os índices de confiança dos quatro setores cobertos pelas Sondagens Empresariais produzidas pela FGV IBRE: Indústria, Serviços, Comércio e Construção.

Entre os setores que integram o ICE, apenas a confiança do Comércio registrou queda no mês, influenciado pela piora das expectativas em relação aos próximos meses.

A alta da confiança industrial interrompe a sequência de oito quedas consecutivas. A confiança dos setores de Serviços e da Construção sobem mais de 4,0 pontos no mês, com grande disseminação entre os segmentos.

A confiança empresarial subiu em 80% dos 49 segmentos integrantes do ICE em abril, um aumento da difusão frente aos 59% do mês passado. Apenas o Comércio apresentou um resultado relativamente fraco.

Open chat
Olá! Posso ajudar?